CONSELHO QUE NÃO DOI.

Como é gratificante conviver em Jardim do Seridó com Radir Meira. Homem que repassa confiança, paz, serenidade, responsabilidade e justiça quando dialoga com quem lhe é caro.

Neste carnaval que passou tivemos vários encontros casuais com ele, no Canal, nas lojas Meira e em locais onde havia reinado de momo. Suas colocações sempre foram de união, de probidade, de bem querer.

Radir ama Jardim e não tem espírito revanchista, nem usa da má intenção para quem quer que seja.

Radir Meira tem pontos de vista próprio e muito pessoal e já desceu do palanque, pois a vida continua e ele é símbolo do bom viver, do fazer o bem sem olhar a quem.

Seria bom que os que decidem os eventos desta terra e as questões funcionais tivessem sempre um papo com aquele amigo, pedissem mesmo sua opinião sobre certas questiúnculas, pois só assim pensariam posições antagônicas. Afinal conselho não dói e não se paga.

Ele é a moderação em pessoa, a linha do infinito pela qual o bem não termina, vai sempre em frente.