Para Fátima, esporte tem que ser visto como fator de inclusão social

A senadora Fátima Bezerra (PT-RN), vice-presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado, presidiu, nesta quarta-feira (27), audiência pública que debateu o futebol feminino e as formas de financiamento para o esporte. 

Na audiência, os participantes reforçarem que, apesar dos avanços, o Brasil precisa ainda criar um calendário para o esporte, acabar com os preconceitos e incentivar formas de garantir patrocínios para a área. “O esporte tem que ser visto como um fator de inclusão social”, destacou a senadora. 

Ela chamou a atenção também para a necessidade de o governo unificar as políticas e as ações dos diversos ministérios envolvidos com o tema, como a Secretaria de Políticas de Mulheres da Presidência da República e o Ministério do Esporte. 

Fátima sugeriu que seja criada uma conferência nacional do esporte, nos moldes na Conferência Nacional de Educação, e propôs que o Ministério do Esporte atualize a Lei de Incentivo ao Esporte, cuja vigência termina em 2015. 

A senadora também chamou a atenção dos presentes para a importância de se acompanhar de perto a tramitação da MP 671/2015, que condiciona a renegociação das dívidas dos clubes ao apoio ao futebol feminino. 

"O futebol feminino quer mais respeito e mais incentivos. Sabemos das ações do Ministério do Esporte, mas precisamos de mais políticas públicas. Vamos dar um basta aos preconceitos e à discriminação, para que tenhamos mais medidas afirmativas", disse.