ENERGIA SOLAR É A BOLA DA VEZ, EXCETO NO BRASIL

Enquanto a Índia inaugura a maior usina de energia solar do mundo, o Brasil segue na vanguarda do atraso priorizando a produção de fontes poluidoras, além de mais caras, como as térmicas. 

Produzida ao custo de US$5 por MW/h (R$15 o MW/h), a matriz se mostrou a fonte mais barata disponível. 

Em leilão recente no Brasil, o valor contratado por MW/h foi de R$83,49 para hidrelétricas e R$135 para usinas térmicas. 
DP