Responsável por ‘taxa de oxigênio’ de Cabral pode deixar cadeia

Acusados de movimentar quantias vultosas de dinheiro durante o governo de Sérgio Cabral, Luiz Paulo Reis, Wagner Jordão Garcia e Sérgio Castro de Oliveira terão seus pedidos de habeas corpus julgados pelo Tribunal Regional Federal nesta quarta (29). 

A Procuradoria Regional da República da 2ª Região (PRR2) já emitiu pareceres contra os pedidos. O órgão afirma que “as investigações revelaram a importância das atuações deles na organização criminosa, responsável por graves delitos de corrupção e lavagem de ativos, e sua libertação poderia comprometer a aplicação da lei penal, bem como no risco de fuga”. 

Reis é apontado como “testa de ferro” do ex-secretário de Obras Hudson Braga. Wagner Garcia, por sua vez, era encarregado de coletar a “taxa de oxigênio”, como chamavam a propina para Braga. E Oliveira entregava a propina à família de Cabral. 
ROL