Dono do DIS chama pai de Neymar de ‘vagabundo’ e fala em suborno

O empresário Delcir Sonda segue atacando Neymar Jr. e seu pai e empresário, Neymar da Silva Santos. Dois dias depois de dizer que “vestir uma camisa de Neymar é apoiar a corrupção”, o dono do grupo de investimentos DIS – que detinha 40% do passe do atacante quando ele era do Santos – chamou o pai do jogador de “vagabundo” e disse que Neymar só não se transferiu ao Real Madrid porque foi “subornado” pelo então presidente do Barcelona, Sandro Rosell. 

“O primeiro clube a mostrar interesse em Neymar foi o Real Madrid. E Neymar disse que sim. Até fez os exames médicos numa clínica de um amigo meu. Estavam dispostos a pagar os 65 milhões de euros da cláusula, inclusivamente mais 10 milhões”, revelou Sonda em entrevista ao diário espanhol AS. “Para ser claro: Sandro Rosell subornou o pai de Neymar. Esse é o delito de corrupção do qual o acusamos”, afirmou o empresário, citando o “empréstimo” pago à empresa da família do jogador, ainda em 2011, dias antes de o Santos ser goleado pelo próprio Barcelona na final do Mundial de Clubes. 

Sonda não economizou nas ofensas ao pai de Neymar. “Desde o início, seu pai exerceu uma má influência sobre ele. O pai de Neymar é, como dizemos no Brasil, um vagabundo. Um picareta que graças ao seu filho tornou-se rico do dia para noite. A avareza desse homem vai levá-lo para o mau caminho. Desde o início ele se aproveitou de Neymar.” 

O empresário contou ainda uma história envolvendo Neymar e o amigo Paulo Henrique Ganso que teria estremecido a relação entre o jogador e seu pai. “Neymar assinava muitos contratos publicitários e só recebia metade do dinheiro, o resto ficava com seu pai. Ele descobriu isso um dia que fez uma propaganda para a Gilette com Ganso e soube que o parceiro ganhava mais. Ele veio me perguntar como isso era possível e aí descobrimos que o pai dele ficava com metade do dinheiro, fazia isso em todos os contratos.” Questionado se um dia perdoaria a dupla, Sonda respondeu: “Neymar pode ser. Seu pai, nunca”. 
Veja