Rotina de Henrique na prisão tem “cama de ferro e colchão quente”

Preso desde o dia 6 de junho passado, o ex-presidente da Câmara dos Deputados e ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves (PMDB) está desde então alojado em um quarto da Academia de Polícia Militar do Rio Grande do Norte, em Natal. 

Segundo seus advogados, tem vida espartana. Diferentemente do que foi divulgado (que ele estaria obtendo privilégios), Henrique passa dia e noite num quarto sem luxo algum. “Cama de ferro, sem armário, colchão quente”, relata o advogado Esequias Pegado Cortez, que integra a equipe de defensores liderada pelo advogado Marcelo Leal em Brasília, responsável pela estratégia jurídica do ex-candidato ao Governo do Estado em 2014. 

“Todos os instrumentos de defesa, no tempo certo, estão sendo utilizados dentro da lei. Porque estamos conscientes da inocência do cliente”, diz Esequias, em entrevista exclusiva ao Portal Agora RN/Agora Jornal. “Henrique está num espaço espartano. O que é conveniente a uma academia”, explica o advogado. 

O ex-ministro do Turismo teve seu pedido de habeas corpus negado pela Primeira Turma do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, em Recife. 

A Turma, composta pelo desembargador Élio Siqueira e por Alexandre Luna, foi presidida pelo desembargador Roberto Machado. Ao final da sessão, a votação foi de 2 a 1 a favor da manutenção da prisão preventiva de Henrique na Academia de Polícia Militar. AGRN