Jornalista da Record relata assédio sexual que sofreu no Congresso

Respeitada e com prestígio na emissora em que trabalha, Adriana Araújo conquistou seu espaço fixo na bancada do principal telejornal da Record. 

Antes disso, no entanto, a jornalista passou por constrangimentos e episódios de violência, conforme ela mesma contou a Fábio Porchat nesta segunda-feira (7). 

Na conversa, Adriana relatou que, quando era repórter e fazia a cobertura do mensalão, em 2005, foi assediada sexualmente no Congresso Nacional. 

A jornalista não citou nomes, nem cargos, mas descreveu a cena com que viveu com o político: “Quando ele me viu sozinha numa salinha, ele me emparedou contra uma divisória, querendo me beijar à força e dizendo palavras de cunho sexual”. 

Ela rebateu: “O seu partido está em uma situação difícil demais para o senhor se ver envolvido em um escândalo de assédio sexual. Antes de ir embora, segundo o relato, ela ainda finalizou: “Falei para que ele nunca mais se aproximasse de mim”, descreveu a jornalista. 
NM