Chamado de ‘chefe de RH’ em 2015, Temer volta a retaliar Renan

Em 2015, Renan Calheiros chamou o então vice Michel Temer de “chefe de RH” ao perder uma nomeação no Ministério do Turismo. 

Na época, Dilma trocou Vinicius Lages, indicação do senador, por Henrique Alves, nome do PMDB na Câmara, articulado justamente por Temer, à frente da coordenação política do governo. Foi a última vez que Renan havia sido rifado pelo Planalto. 

Mas na semana passada o governo voltou a rifá-lo. Renan perdeu uma nomeação no Tribunal Regional Federal da 5ª Região, promessa do governo como primeiro gesto de aproximação. Foi preterido por um nome de Eunício de Oliveira. 

Outro golpe que ele não engole é o fato do Ministério do Turismo ter sido a pasta que sofreu o maior corte de gastos, com bloqueios de R$ 321,6 milhões, o equivalente a 67,96% do orçamento. 

O Turismo, hoje, está nas mãos de Marx Beltrão, companheiro de chapa de Renan ao Senado e articulação do senador ao cargo. 

Às vésperas do julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE e com as derrotas de Renan, um importante aliado do senador prevê mais chumbo trocado e pancadas “cirúrgicas” em Brasília. 
ROL