Fátima: “Temer se salvou, mas saiu da sessão da Câmara enfraquecido politicamente”

A senadora Fátima Bezerra afirmou, nesta quinta-feira, 3, que mesmo usando métodos escandalosos, fisiológicos e espúrios para garantir a manutenção do mandato, Temer sofreu uma grande derrota política na noite de quarta-feira, quando a Câmara dos Deputados negou autorização para que ele fosse processado por corrução passiva, como defende a Procuradoria-Geral da República (PGR). 

“O governo teve uma vitória apenas matemática, mas do ponto de vista político, sofreu uma grande derrota, ao garantir apenas seis votos a mais do que a metade da Casa”, ressaltou a parlamentar. 

Ela lembrou que o governo tinha certeza de que conseguiria mais de 300 votos, quando obteve apenas 263. 

Por outro lado, para a senadora, enquanto a base de sustentação do governo se dividiu, a oposição, que eles diziam que não chegaria a 180 votos, conseguiu 223, demonstrando sua capacidade de coesão, firmeza e união na luta contra a agenda retrógrada de retiradas de direitos da população que o governo tenta impor. 

“A oposição saiu fortalecida e expressou o sentimento popular que brota no coração da maioria do povo brasileiro, que espera que o Presidente seja investigado e quer eleições Diretas Já”, enfatizou. 

Para Fátima, o resultado da votação, renovou as esperanças de que é possível, em sintonia com a mobilização social e popular, barrar as propostas de reformas do governo, como a da Previdência. 

“Para alterar a Constituição, é necessário quorum qualificado e os votos de três quintos dos parlamentares. Ontem, ficou provado que o presidente ilegítimo, mesmo com seus métodos condenáveis, não tem esse apoio”, enfatizou a senadora. 

Ela chamou a atenção, no entanto, para a importância de a população se engajar nessa luta, pressionando o Congresso Nacional.