Sensor brasileiro detecta leucemia a partir de substância tirada da jaca

O novo sistema é semelhante ao usado por diabéticos para medir o nível de glicemia e consegue, a partir de uma amostra de sangue, encontrar as células anormais do sangue que representam a leucemia. Pesquisadores da USP de São Carlos (SP) desenvolveram um dispositivo eletrônico que facilita o diagnóstico da leucemia. 

O sensor utiliza uma substância presente na jaca para detectar, em até uma hora, se o paciente é portador do câncer. Atualmente, o diagnóstico pode demorar até três semanas. 

O sensor desenvolvido é feito a partir de uma nanopartícula de ouro revestida com jacalina, substância extraída da semente da jaca e que tem a capacidade de se ligar aos açúcares produzidos pelas células leucêmicas. 

Quando essa ligação é feita, o dispositivo faz com que as células cancerosas brilhem, permitindo o diagnóstico. Atualmente, o diagnóstico da leucemia é feito por meio de vários exames e o resultado dos testes pode demorar até um mês, tempo que coloca em risco os pacientes.
R7