PREFERÊNCIA

Apesar de não terem fechado acordos de delação premiada, o operador do PMDB Lúcio Funaro e o ex-deputado cassado Eduardo Cunha têm “preferência” na negociação. 

A expectativa é de “bombas”. 
DP